A influência da alimentação no surgimento do câncer

O mês de fevereiro é marcado pelo Dia Mundial de Combate ao Câncer (04/02) e Dia Internacional de Luta Contra o Câncer na Infância (15/02), o que nos convida a uma reflexão sobre a doença. Estimativas do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) prevêem a ocorrência de aproximadamente 600 mil novos casos no Brasil no período 2016-2017.

A doença é cercada de medo, boatos e mitos, mas uma informação está mais do que comprovada: a relação entre o câncer e a alimentação. “A alimentação tem sido associada com o processo de desenvolvimento de alguns tipos de câncer, principalmente os de mama, intestino, próstata, esôfago e estômago. Alguns alimentos protegem o organismo e outros aumentam o risco de surgimento da doença. Além disso, o peso de uma pessoa também tem relação com o câncer”, informa o INCA em um de seus materiais de conscientização para a data. Sabendo da existência dessa relação, o que você tem feito para se prevenir?

Quando abraçamos a causa Salve Sua Comida nos preocupamos não apenas com a questão do desperdício de alimentos, mas também em como eles podem e devem ser consumidos de forma equilibrada, favorecendo a saúde e ao bem estar de todas as pessoas. Seguindo essa linha de raciocínio, para nós da Alpfilm faz todo sentido ensinar e ajudar as pessoas a conservarem e consumirem mais frutas, verduras e legumes – de acordo com o INCA esses alimentos contêm nutrientes que contribuem para o bom funcionamento das defesas naturais do corpo humano. A recomendação é que cada pessoa consuma pelo menos 5 porções desse grupo por dia. Outra sugestão do órgão é dar preferência às carnes cozidas ou assadas, pois frituras, carnes muito gordurosas, embutidos e enlatados, quando consumidos com frequência por longos períodos, podem fazer células saudáveis se transformarem em células cancerosas. Cabe lembrar que essas dicas também fazem a diferença na vida de quem já teve câncer.

Sabemos que seguir uma dieta saudável é mais difícil para quem trabalha fora e passa a maior parte do dia na rua, ficando sujeito aos alimentos prontos disponíveis para venda em restaurantes e lanchonetes. Esse estilo de vida “corrido” tem impacto não apenas na saúde, mas no desperdício de alimentos: na tentativa de ganhar tempo muitas pessoas compram grandes quantidades de comida para não precisar ir ao supermercado com frequência. Sem tempo para cozinhar em casa ou consumir tudo o que comprou, muitos alimentos (principalmente os mais naturais e sem conservantes) acabam perdendo e indo para o lixo. O resultado disso é cruel: cada pessoa desperdiça em média 280 quilos de comida por ano, segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Além de jogar comida e dinheiro fora, a saúde também fica prejudicada: só no Brasil estima-se que cada pessoa consome, em média, 1.187 calorias por dia em produtos industrializados. Ou seja, estamos desperdiçando frutas, verduras e legumes e aumentando o consumo de produtos que fazem mal à saúde.

A solução começa na mudança de hábitos: ir ao supermercado com mais frequência e assim comprar quantidades menores de comida; armazenar frutas, verduras e legumes de maneira apropriada para aumentar sua duração; aproveitar talos, folhas e sementes no preparo de receitas; conservar alimentos crus e cozidos da forma correta; dar preferência aos alimentos que estão na época de cultivo (a produção farta exige menos agrotóxicos no cultivo). Você pode acompanhar outras dicas sobre esse assunto na página do projeto Salve sua Comida e no site do INCA.

Assine nossa newsletter

para receber conteúdos e promoções exclusivas