Vitamina D: entenda sua importância no combate à COVID-19

Nas últimas semanas, vem sendo feitas muitas especulações sobre curas milagrosas para a COVID-19. Entretanto, por se tratar de um vírus recém-descoberto, às suas formas de prevenção e tratamento ainda estão sendo estudadas. Até o momento, sabemos que indivíduos com um sistema imunológico fortalecido são mais resistentes a infecções, o que aumenta as chances de recuperação em caso de contaminação. Por isso, muitas pessoas estão apostando no poder da vitamina D para o aumento da imunidade.   

A vitamina D como uma importante aliada

Ela é um nutriente lipossolúvel (que se dissolve em gordura e óleo), reconhecido por seu importante papel na absorção de cálcio e fósforo em nosso organismo, que são elementos essenciais à saúde dos ossos, músculos e dentes. Além disso, essa substância atua na prevenção de doenças como a osteoporose e no controle de peso e hipertensão. E agora, os pesquisadores estão estudando se a vitamina D pode ajudar no combate ao coronavírus.

Em um estudo recente, cientistas da Universidade de Turim, na Itália, apontaram a importância do nutriente para a regulação do sistema imunológico. Segundo eles, a falta de vitamina D é frequente em pacientes hospitalizados devido à COVID-19. Outro estudo, dessa vez da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, concluiu que, nos países com as maiores taxas de letalidade pela doença, os pacientes fatais tinham níveis inferiores da vitamina quando comparados às vítimas que resistiram melhor ao vírus. 

Desse modo, ainda não há evidências científicas suficientes para comprovar a ligação entre a deficiência da vitamina D e o contágio pelo novo vírus. Mas já existem alguns indícios sobre a relevância dessa substância no combate a infecções. Além disso, mesmo que sua eficácia no combate à COVID-19 ainda não esteja comprovada, garantir níveis adequados de vitamina D é sempre essencial para o bom funcionamento do organismo.

Mas, afinal, como podemos obter a vitamina D?

Essa substância pode ser absorvida pela exposição aos raios solares e pela ingestão de alguns tipos de alimentos. Além disso, pessoas com carência do nutriente podem adquiri-lo por meio de suplementação, porém sob supervisão médica. 

Exposição aos raios solares

A exposição solar é a principal fonte de obtenção de vitamina D. Afinal, os raios ultravioleta do tipo B (UVB) são responsáveis por ativar a síntese cutânea dessa substância no organismo. E essa síntese é responsável por 90% da obtenção do nutriente. 

Você deve estar se perguntando se a exposição aos raios solares não é prejudicial à pele, não é mesmo? Para evitar danos, a Sociedade Brasileira de Dermatologia indica que a exposição moderada — 5 a 10 minutos diariamente — é suficiente para sintetizar a vitamina D. Por isso, durante o distanciamento social, procure um cantinho que bata sol na sua casa para garantir a sua dose diária de saúde.

Ingestão de alimentos ricos em vitamina D

Embora representem uma pequena porcentagem na obtenção de vitamina D (10%), alguns alimentos são capazes de fornecer o nutriente ao nosso organismo. Entre eles, peixes gordurosos (como salmão, atum, cavala, arenque e sardinha), fígado de animais, ovos, leite, queijos e cogumelos são fontes dessa vitamina. No entanto, vale ressaltar que, devido ao teor de colesterol, eles devem ser consumidos moderadamente. 

E para inspirar você a preparar refeições ricas em vitamina D, separamos algumas receitas simples e deliciosas. Confira!

Salmão com recheio de queijo

Ingredientes 

  • 4 filés de salmão
  • 200g de queijo mussarela
  • 200g de queijo provolone em pedaços 
  • Suco de 2 laranjas
  • Sal e temperos a gosto 

Modo de preparo

Primeiro, faça um corte no meio de cada pedaço de salmão. Adicione os queijos dentro deles, feche-os com a ajuda de palitos e coloque-os sobre um pedaço de papel alumínio. Em um recipiente, misture os temperos, o sal e o suco de laranja. Em seguida, regue os filés com essa mistura e embrulhe-os no papel alumínio. Depois, disponha os filés em uma forma e leve ao forno pré-aquecido, em temperatura média, por aproximadamente 25 minutos. E pronto! Agora é só retirar o papel alumínio e servir à vontade.

Panqueca com recheio de cogumelos 

Ingredientes

Massa:

  • 1 e ¼ xícara (chá) de farinha de trigo
  • 1 e ¼ xícara (chá) de leite
  • 2 ovos
  • 2 colheres (sopa) de manteiga derretida
  • 1 pitada de sal

Recheio:

  • 600g de cogumelos variados picados
  • 2 colheres (sopa) de manteiga derretida
  • 2 colheres (sopa) de manteiga 
  • 1 cebola picada
  • Suco de 1 limão 
  • 1 pote de iogurte natural
  • Sal e temperos a gosto

Modo de preparo

Em uma tigela, misture os ingredientes da massa. Cubra o recipiente com plástico-filme e deixe descansar, por 20 minutos, em temperatura ambiente. Depois, unte uma frigideira antiaderente, com um fio de azeite ou manteiga, e forme discos com a massa. Reserve.

Em uma panela, aqueça a manteiga e refogue a cebola até começar a dourar. Adicione os cogumelos e cozinhe até que eles fiquem macios. Em seguida, coloque o sal e os temperos e escorra o líquido que se formou. Por fim, acrescente o iogurte aos cogumelos e misture. 

Agora, basta rechear os discos de massa, formar trouxinhas e dispô-las em uma forma untada. Regue as panquecas com manteiga derretida e leve ao forno pré-aquecido, em temperatura média, por cerca de 15 minutos. Bom apetite!

Alguns cientistas estão estudando a relação entre a vitamina D e o combate ao coronavírus. Embora a eficácia dessa substância, para esse fim, ainda não esteja cientificamente comprovada, já existem alguns indícios. Além disso, ela apresenta vários outros benefícios ao organismo. Por isso, busque se expor ao sol diariamente e ingerir alimentos que forneçam esse nutriente. Caso você apresente deficiência da vitamina D, procure um médico para fazer a suplementação adequada. Se cuide e fique em casa!

Assine nossa newsletter

para receber conteúdos e promoções exclusivas